Sistema de bibliotecas da UFRN
Notícia
Comissão Permanente de Inclusão e Acessibilidade promove ciclo de debates 19/05/2022
Inclusão e acessibilidade - Foto: Cícero Oliveira
(Foto: Portal da UFRN)

Ítalo Lima - Agecom

 

A Comissão Permanente de Inclusão e Acessibilidade (CPIA/UFRN) promove o Ciclo de Debates Sobre Inclusão e Acessibilidade, no dia 24, às 14h. Nesse primeiro encontro, será discutido o tema Acessibilidade e autismo na academia: propostas para uma prática inclusiva. O encontro contará com intérpretes de Libras e será  transmitido pelo canal da Escola Multicampi de Ciências Médicas (EMCM/UFRN) no YouTube. Não será necessária inscrição.

 

Segundo a OMS, as pessoas com autismo sofrem com o estigma, discriminação e violações dos direitos humanos. Em todo o mundo, o acesso desse grupo a serviços e apoio é inadequado. “A educação é uma questão de direitos humanos e os indivíduos com deficiência devem fazer parte das escolas, as quais devem modificar seu funcionamento para incluir todos os alunos”, é o que afirma mensagem transmitida pela Conferência Mundial de 1994, da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), sobre Necessidades Educacionais Especiais (NEE).

 

Para Francisco Emanuel Soares Gomes, psicólogo clínico da EMCM e membro da CPIA, pessoas autistas estão cada vez mais ingressando nas universidades, logo, é fundamental que as instituições se preparem para recebê-las e apoiá-las considerando suas demandas, condições e especificidades. Nesse sentido, promover espaços de debate sobre inclusão e acessibilidade contribui para que a comunidade universitária aprenda a lidar com desafios que possam surgir, buscando garantir um ambiente de aprendizado efetivamente igualitário e participativo para todas as pessoas.

 

Palestrantes

 

O ciclo traz como convidados Luiz Henrique Magnani, coordenador do projeto de pesquisa Traduzir-se: autismo em primeira pessoa na prática acadêmica e membro da Associação Brasileira para Ação por Direitos das Pessoas Autistas (Abraça); Rose Clér Estivalete Beche, coordenadora do Núcleo de Acessibilidade Educacional (NAE) da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC); e Solange Cristina da Silva, coordenadora do Laboratório de Educação Inclusiva (LEdI/UDESC) e membro do Núcleo de Estudos da Deficiência (NED) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).


Fonte: Portal da UFRN


Voltar